Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12678
Document Type: Produto educacional
Title: Protocolo de assistência à mulher exposta a agrotóxicos na atenção primária a saúde
Authors: Fraga, Francielly Vieira
Issue Date: 2019
Advisor: Batista, Rosana de Oliveira Santos
Resumo : A exposição por agrotóxicos, constitui um dos problemas mais graves e presentes na saúde pública de municípios e comunidades, principalmente as rurais, e ligadas a execução e processos agrícolas, As patologias decorrentes desses agravos, interferem diretamente na saúde da população e exposta e denotam a necessidade de estratégias cada vez mais avançadas, unificadas e vivenciais de intervenção, valorizando os saberes populares, as características da comunidade e priorizando a promoção e prevenção dentre as ações previstas, no formato interdisciplinar . Segundo o Sistema de Agrotóxicos Fitossanitários (Agrofit) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2014 foi registrada a maior quantidade de agrotóxicos comercializados no Brasil. Entre 2007 e 2014, esse quantitativo passou de cerca de 623.353.689 quilos para 1.552.998.056 quilos, um aumento equivalente a 149,14% (considerando as variáveis do banco Agrofit: cliente, venda, revenda, indústria)1. Por sua vez, a área plantada (representada pela soma da lavoura temporária e da lavoura permanente) aumentou de 62.338.730 hectares para 76.246.588 hectares (22,31%), segundo dados do Sistema de Recuperação Automática (Sidra) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No que se refere à comercialização de agrotóxicos por hectare de área plantada, o Brasil registrou 16,87 kg/ha (considerando as variáveis do banco Agrofit: cliente, venda e revenda) (ABREU, 2014). Entre os anos de 2004 e 2015, foram notificados no Brasil, 84.206 casos de intoxicação por agrotóxicos. Na Bahia, esses números chegam a 3.745 casos descritos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan (2016). As infecções agudas compreendem a maior parte dos casos, ressalta-se então que, a partir dos dados supracitados, é possível que a exposição crônica esteja subnotificada, reflexo da baixa capacidade dos serviços de saúde de reconhecer e captar casos desse tipo. Ainda, segundo tais dados, ao observar a relação entre sexo feminino e ocupação, houve destaque para a categoria dona de casa, com 32,7% dos casos de intoxicação por agrotóxicos; estudante com 23,4% (casos); e trabalhador agrícola e afins, com 10,2% (casos). Dentre tais vertentes de analises, e apesar da Política nacional de saúde do trabalhador, pouco ainda se faz na aplicação de consultas e programas a população exposta ao agrotóxico, esses dados são ainda mais escassos, quando se analisa a investigação de intoxicações por agrotóxicos no público feminino. A partir disso, nota-se a necessidade de evidenciar as mulheres como população de risco para exposição por agrotóxicos e estabelecer políticas e diretrizes aplicáveis a realidade interiorana, na prevenção, detecção e tratamento de agravos ou riscos ligados ao contato direto ou indireto com tais substancias. A presente proposta surge então, como produto didático do Programa de Mestrado em Ciências Ambientais, evidenciado aqui em versão impressa, mas também disponível em PDF e no app Conexão saúde, presente na play store e de acesso gratuito aos profissionais de saúde. É uma contribuição para os profissionais de saúde no direcionamento do atendimento, diagnóstico e vigilância dos casos de intoxicações crônicas por agrotóxicos. A intenção é aperfeiçoar, dinamizar e contribuir com a capacidade resolutiva das equipes de saúde no atendimento das intoxicações crônicas em mulheres expostas aos agrotóxicos, visando compreender os riscos aos quais estas estão expostas, de modo a estruturar as ações de vigilância destes agravos no interior nordestino. Nossa expectativa é monitorar e minimizar os impactos dos agrotóxicos na saúde das populações expostas e contribuir na garantia do direito à saúde de todos a partir do uso do protocolo e do aplicativo, como instrumentos do processo de promoção e prevenção em saúde.
Keywords: Contaminação
Mulheres
Neoplasias
Recursos hídricos
Produto educacional
Is part of: Entre mulheres e a água : riscos neoplásicos na população feminina por veiculação hídrica em Paripiranga/BA
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Mestrado Profissional em Ciências Ambientais
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12678
Appears in Collections:Ciências Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FRANCIELLY_VIEIRA_FRAGA-Produto_Educional.pdf1,5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.