Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/3298
Document Type: Dissertação
Title: Conservação in vitro de mangabeira nativa da Região Nordeste do Brasil
Other Titles: IN VITRO CONSERVATION OF NATIVE MANGABA TREE NATIVE OF NORTHEAST OF BRAZIL.
Authors: Santos, Micaele da Costa
Issue Date: 31-Mar-2010
Advisor: Lédo, Ana da Silva
Resumo : A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma frutífera tropical encontrada em diferentes regiões do país, sendo mais abundante em áreas de tabuleiros costeiros e baixadas litorâneas da Região Nordeste, onde é explorada de forma extrativista e vem sofrendo acelerado processo de erosão genética. O desenvolvimento de métodos de conservação dos recursos genéticos ainda disponíveis torna-se imprescindível. Este trabalho teve como objetivo o aprimoramento técnico-científico da conservação in vitro por crescimento lento de mangabeira. Os trabalhos foram desenvolvidos no Laboratório de Cultura de Tecidos de Plantas da Embrapa Tabuleiros Costeiros. Para avaliar o efeito da sacarose e sorbitol segmentos nodais foram inoculados em tubos de ensaio com 25 mL de meio de cultura MS suplementado com 1 mg.L-1 de ácido indol acético (AIA) e 1 mg.L-1 de benzilaminopurina (BAP) e diferentes concentrações de sorbitol (10; 20 e 40 g.L-1), combinadas com 0 e 15 g.L-1 de sacarose. Para avaliar o efeito do ácido abscísico (ABA), do tipo de recipiente e vedação os segmentos nodais foram inoculados em frascos tipo maionese e em tubos de ensaio com 25 mL de meio MS, suplementado com 30 g.L- 1 de sacarose, contendo 0 ou 0,5 mg.L-1 de ABA combinadas com tampa plástica e tampa de papel alumínio. Para o estudo do efeito do manitol e tempo de cultivo dois acessos de mangabeira foram inoculados em meio MS combinados com 0; 5; 10; 15 e 20 g.L-1 de manitol. Foi realizada a quantificação da prolina em microestacas provenientes de meio de conservação contendo 10 e 20 g.L-1 de sorbitol. Na etapa de recuperação do crescimento explantes conservados in vitro por 120 dias, nos experimentos anteriores foram inoculados em meio de cultura MS sendo a viabilidade das culturas avaliadas aos 30 e 60 dias. É viável a manutenção de segmentos nodais na ausência de sacarose e na presença de 10 ou 20 g.L-1 de sorbitol assim como de segmentos nodais na presença de 0,5 mg.L-1 de ABA em tubos de ensaio vedados com tampa de papel alumínio por 120 dias. É viável a conservação de plântulas germinadas in vitro em meio com 15 e 20 g.L-1 de manitol por 180 dias. Observa-se maior acúmulo de prolina em entre-nós do que em folhas de mangabeira. Explantes mantidos na presença de 10 g.L-1 de sorbitol e na ausência de sacarose e na presença de 0,5 mg.L-1 de ABA na fase de conservação apresentam maior viabilidade na recuperação do crescimento.
Abstract: Mangaba tree (Hancornia speciosa Gomes) is a tropical fruit found in different regions of the country, being more abundant in areas of coastal tablelands and lowlands of Northeast region, where it is explored in an extractive way and it is suffering an accelerated process of erosion genetics. The development of methods for conservation of genetic resources still available it is essential. This work aimed at improving technical and scientific in vitro conservation by slow growth of mangaba tree. The work was done at the Laboratory of Plant Tissue Culture of Embrapa Coastal Tablelands. To evaluate the effect of sucrose and sorbitol nodal segments were inoculated in test tubes with 25 mL of MS medium supplemented with 1 mg.L-1 of indol acetic acid (IAA) and 1 mg.L-1 of benzylaminopurine (BAP) and different sorbitol concentrations (10; 20 and 40 g.L-1) combined with 0 and 15 g.L-1 of sucrose. To evaluate the effect of abscisic acid (ABA) and the recipient and sealing types, nodal segments were inoculated in "mayonnaise" flasks and in test tubes with 25 mL of MS medium supplemented with 30 g.L-1 of sucrose, containing 0 or 0.5 mg.L-1 of ABA combined with plastic lid and aluminum foil. To study the effect of the mannitol and cultivation time two mangaba accessions were inoculated on MS medium supplemented with 0; 5; 10; 15 and 20 g.L-1 of mannitol. The proline quantification was done in mangaba microcuttings from conservation medium containing 10 and 20 g.L-1 of sorbitol. In the recovery stage of the growth explants conserved in vitro for 120 days, in the previous experiments were inoculated on MS medium and the viability of crops evaluated at 30 and 60 days. It is feasible to maintain nodal segments in the absence of sucrose in the presence of 10 or 20 g.L-1 of sorbitol and nodal segments in the presence of 0.5 mg.L-1 of ABA in test tubes sealed with aluminum foil lid for 120 days. It is possible the conservation of seedlings germinated in vitro in MS culture medium with 15 and 20 g.L-1 of mannitol for 180 days. Larger proline accumulation is observed in stem than in leaves of mangaba tree. Explants maintained in the presence of 10 g.L-1 of sorbitol and sucrose absence and in the presence of 0.5 mg.L-1 of ABA at conservation present higher viability in the growth recovery.
Keywords: Hancornia speciosa Gomes
Crescimento lento
Reguladores osmóticos
Hancornia speciosa Gomes
Slow-growth
Osmotic regulators
Subject CNPQ: CNPQ::OUTROS
Language: por
Country: BR
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Biotecnologia de Recursos Naturais
Citation: SANTOS, Micaele da Costa. Conservação in vitro de mangabeira nativa da Região Nordeste do Brasil. 2010. 57 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2010.
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/3298
Appears in Collections:Mestrado em Biotecnologia de Recursos Naturais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MICAELE_COSTA_SANTOS.pdf1,68 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.